Caio Paduan: "Sou um eterno apaixonado"

Ator que interpreta Gabriel em "Malhação" conversa com o iG Jovem sobre misticismo, carreira e amor

Nathalia Ilovatte, iG São Paulo |

Divulgação/TV Globo
Caio morava em São Paulo, mas mudou para o Rio de Janeiro e divide um apartamento com Pedro Tergolina, o Felipe da série

Ele é novato na televisão, mas na pele do protagonista Gabriel em “ Malhação ”, Caio Paduan vem arrancando suspiros femininos. Na trama, o ator vive um garoto sensitivo e místico que tem um site sobre assuntos naturais. E, na vida real, Caio revelou ao iGirl ter muito em comum com o personagem!

iG: Como você chegou à “Malhação”?
Caio Paduan: Eu sou de uma agência de São Paulo e estava em cartaz no teatro do SESI com uma peça chamada "Avalon". Meu empresário foi assistir, gostou muito, disse que eu estava pronto como ator e que ia me arranjar um teste bacana. Aí fiz dois testes na Rede Globo e me chamaram para “Malhação”.

i G: Era algo que você havia planejado ou foi uma surpresa?
Caio Paduan: Na verdade nem uma coisa nem outra, eu trabalhava com teatro e não tinha pressa. Eu sabia que se eu fizesse um bom trabalho, estivesse estudando e trabalhando, quando a oportunidade aparecesse, eu ia conseguir estar pronto para ela. Quando ela veio, eu estava mais seguro, trabalhando de uma maneira mais profissional. Acho que foi uma conseqüência de uma busca com muito esforço e muito estudo.

iG: A “Malhação” já abriu muitas portas para atores no começo da carreira. Depois da série, o que você pretende fazer?
Caio Paduan: Tenho muita vontade de fazer cinema e tenho vontade de fazer outros trabalhos aqui [na Rede Globo] também. Gosto muito de minisséries, gosto de novelas e gostaria de trabalhar com vários diretores. Mas eu quero dar um passo de cada vez, [a “Malhação”] é o meu primeiro degrau e eu quero fazer um bom trabalho aqui.

Divulgação/TV Globo
Caio em cena, com a colega de elenco Thais Melchior

iG: Você encontrou alguém no Projac de quem era fã?
Caio Paduan: Eu estou trabalhando com o Kadu Moliterno, de quem eu já era fã e sempre quis conhecer. E tem um cara que eu já vi no teatro, no cinema e na televisão várias vezes, que é o Marco Nanini. Quando eu encontrei foi complicado, me deu um nervoso! Sou muito fã dele.

iG: Seu personagem é ligado a assuntos místicos, e na sua bio do Twitter você escreveu que é sagitariano. Você também é ligado a essas questões?
Caio Paduan - Total. Me amarro nisso desde muito novo. Sempre vou atrás disso, já li muitos livros, gosto muito de filmes, paranormalidade, misticismo, astrologia, intuição...

iG: E já presenciou algum fenômeno?
Caio Paduan: Tem umas coincidências na vida em que a gente para e pensa ‘será que foi coincidência mesmo?’. Nada de extraordinário, mas coincidências que fazem a gente parar e pensar. E eu acredito muito nisso, acho que acaba atraindo um pouco.

Divulgação/TV Globo
"Gosto de paranormalidade, misticismo, astrologia, intuição...", conta Caio
iG: Assim como o personagem, você é bem presente na internet, não?
Caio Paduan: Eu curto sim, me amarro em sites de cinema, esportes, teatro... E agora estou me conectando mais e me envolvendo por causa do personagem. Criei no final de agosto um Twitter para me comunicar com o público e está sendo bem legal a resposta. Acho que é uma conexão que não tem como não ter mais.

iG: Você está morando no Rio de Janeiro agora?
Caio Paduan - Sim. Eu morava em São Paulo e agora estou aqui no Rio. Divido o apartamento com o Pedro Tergolina , que faz o Felipe. A gente está curtindo, se conhecendo bastante, e está tudo tranqüilo. Ele é muito gente boa, um baita artista, ótimo ator, toca violão, guitarra e baixo. A gente tem um gosto musical bem parecido e além de tudo cozinha muito bem e isso ajuda muito, porque eu não cozinho nada, no máximo um macarrão com salsicha.

iG: E rola um acordo, um cozinha e o outro lava a louça?
Caio Paduan: Total! Essa é a troca, ele cozinha e eu lavo a louça... Mas a gente já providenciou uma empregada porque lavar a louça não é muito legal.

iG: Você tuíta mensagens sobre o código florestal, por exemplo. Tem uma preocupação em usar sua imagem para o bem?
Caio Paduan: Com certeza. Tenho uma preocupação em passar boas mensagens. Acho que a gente está numa posição de exposição devido ao fato de trabalhar com isso, né. Ônus e bônus, já que trabalhamos como atores e estamos expostos como pessoas públicas é quase um dever passar boas mensagens, ter o que falar e divulgar coisas em que a gente acredita. E eu retuitei uma mensagem sobre o código florestal, sou envolvido com isso desde que morava em são Paulo, fui a passeata... Acho que é uma obrigação dar bons exemplos. Ainda mais em “Malhação”, nosso público é infanto-juvenil e está no momento da vida em que mais precisa de referências,de pessoas que passem coisas boas, que falem coisas boas, porque o mundo carece disso hoje em dia.

Divulgação/TV Globo
Caio Paduan: "Estou sempre apaixonado"

iG: Quais causas você apóia?
Caio Paduan: Sou a favor da natureza, da sustentabilidade, acho um absurdo o que estão fazendo com a Amazônia... Acho que todas as causas que falam de amor, amor ao próximo, a você mesmo, amor a natureza. Odeio injustiça, então tudo o que é a favor da criança também sou super a favor, e dos idosos... Acho que tudo o que falar de amor deve ser divulgado, porque nesse mundo capitalista individualista em que a gente vive, quanto mais a gente falar de amor, mais a gente amar, mais o mundo vai sair desse buraco em que a gente está.

iG: E já que estamos falando de amor, você está apaixonado no momento?
Caio Paduan: Eu sou um eterno apaixonado, estou sempre apaixonado. Se eu não estiver apaixonado, eu não vivo.

iG: Mas está com alguém?
Caio Paduan - [risos] Isso aí deixa pra uma próxima entrevista! A gente conversa outro dia, melhor a gente não falar nisso, sou meio tímido pra essas coisas.

Divulgação/TV Globo
Caio ao lado da autora da temporada, Ingrid Zavarezzi, e do ator Pierre Baitelli

Leia tudo sobre: caio paduanentrevistagabrielmalhação

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG